Altar Mágico

Caros,

Referente ao altar magico, faço parte de mais de uma ordem mística, eu poderia usar o mesmo altar (tirando o manto, velas) para mais de uma ordem/objetivo/aplicação?

Ex: Alguns dos ornamentos da Golden Dawn para aplicação magica de qualquer outra ordem?

Fui claro? rs...

Fraternalmente.

Relativamente à ordens mágicas, ortodoxamente recomenda-se que não, entretanto eu diria que até pode ser, se isso for uma situação confortável pra você. Mas particularmente prefiro manter as coisas separadas, é mais fácil. Mas, por se tratarem, segundo você diz, de ordens de cunho místico, acho que não deve haver grandes problemas.

No caso de ordens mágicas, tem de ver o quão conciliáveis ideologicamente (e energeticamente, por consequência) esses elementos todos são. Você tentar unir num mesmo espaço vertentes razoavelmente diferentes de pensamento pode resultar em desequilíbrio no momento das suas práticas. Talvéz haja quem lide bem com isso, mas nem todo mundo tem essa capacidade de girar um botão e sintonizar em outra estação sem interferências.

Claro que também depende da aplicabilidade desse "altar", ou seja, o quanto ele efetivamente será usado nas práticas. Há quem use esses espaços apenas como algo decorativo, e aí creio que não haja problema de se fazer um ambiente, digamos, ecumênico.

Mas se for de uso mais prático, convém tomar cuidado, pois muitas vezes mesmo dentro de uma mesma tradição existem energias que mantém conflito entre si e recomenda-se que se as mantenham separadas.

Enfim... cada caso é um caso; cada cabeça, uma sentença.

Usando como exemplo, práticas magicas da Golden Dawn, com algumas práticas misticas Rosa Cruz/Martinismo?

Acredito que se você se sente confortável com isso, se consegue lidar bem com a situção e separar as coisas, não é pra dar problema nehum. Não chegam a ser correntes incongruentes.

@aluvaia Eu montei meu altar mais na intuição e da forma que eu sentia estar melhor pra mim. Claro que obedecendo os locais dos implementos de acordo com os pontos cardeais (Cálice, adaga, incensário em suas devidas posições). O altar é uma junção GD-THELEMA, o que me parece não gerar nenhum conflito. Vc vê algum problema? Eu realmente segui meus instintos na montagem, o altar ainda está sendo desenvolvido ao passo que adquiro outros itens, além de não ser cúbico, tive que adaptar para um altar retangular

A ritualística é um jogo de significados íntimos, com códigos que você usa como uma linguagem por intermédio da qual o inconsciente será conduzido a que compreenda o que você deseja comunicar; será esta também a metodologia usada como resposta dele para você. Quero dizer com isso que a associação simbólica adotada deve ser clara na sua cabeça e funcionar de maneira fluida para você, ou seja, seguir aquilo que está chamando de “intuição” e “instintos” é realmente imprescindível.

Normalmente as ordens e práticas que englobam as diretrizes de Thelema tem suas raízes na magia cerimonial da Golden Dawn, quanto a isso, portanto, francamente não vejo problema algum. O pensamento e simbologia mágicos do ocidente foram vetorizados da GD para ritualística Thelêmica de maneira direta. Creio importante, no entanto, um entendimento desse movimento que as coisas tomam, ou seja, na simbologia thelêmica como final desse processo. Muitas correntes de pensamento conseguem evoluir bem para Thelema, mas nem tudo consegue evoluir bem de Thelema para outra coisa.

Mas enfim, também não quero confundir sua cabeça. Cabe dizer que com relação ao “casamento” que você fez, acho adequado.

1 Curtida

Faça um altar pra tuas coisas da ordem e outro altar pras tuas coisas de Thelema. Quando for fazer uma lasanha você coloca azeite que vai harmonizar, não coloca nescau que você vai estragar tudo.