Livros essenciais

Caros frateres, sorores, etc…

Ando fazendo muitas perguntas por aqui, por isso venho pedir desculpas por encher o fórum de questões que alguns de vocês até achem bobas. Mas como um iniciante, vou cometer muitos erros de interpretação e de julgamento, por isso venho até aqui pedir a ajuda e a compreensão de todos.
Enfim, a minha pergunta é: Quais livros vocês acham que é essencial na formação de qualquer “mago”, e que deveriam ter em qualquer biblioteca de respeito?
E se fosse possível, quais vocês colocariam numa ordem como, iniciante, intermediário, e avançado?
Só lembrando que podem ser os livros ligados a ordem ou não.

Crowley sugere esta lista como a base de uma biblioteca oculta:

Na minha opinião pessoal esses três são os essenciais:

  • Magick: Liber ABA: O Livro Quatro, de Aleister Crowley
  • 777 & Other Qabalistic Writings, de Aleister Crowley
  • Os Livros Sagrados de Thelema, de Aleister Crowley

Na verdade isso depende muito daquilo que você está Buscando enquanto magista e também daquilo em que acredita (seu conjunto particular de crenças), mas vou tentar indicar algo bem tradicional, pelo menos no que diz respeito ao basilar.
.

Livros “iniciantes”:

Biografias de quem você achar interessante dentro do ocultismo (do Crowley, da Blavatsky, de Buda, de Gudjieff… enfim, gente interessante não falta)
A Cabala mística - Dione Fortune;
A Magia de Aleister Crowley - lon Milo Duquette;
Magia Hermética - Isarel Regardie;
A Face Oculta da Mente - Oscar G. Quevedo; (Ou quaisquer outros de parapsicologia. É, parapsicologia, sim! Querer entender de magia sem manjar de parapsicologia é como querer ser psiquiatra sem ter cursado medicina!)
.

Livros “Intermediários”:

Oráculos da sua preferência - astrologia, tarô, I Ching… o que for. Eu recomendaria eleger um e focar nele. (Coloquei isto nessa seção porque creio que já seja um trabalho prático, hora de começar a meter a mão)
A Golden Dawn - A Aurora Dourada - Israel Regardie;
Os Livros de Thelema - Aleister Crowley;
Liber Null & Psychonaut - Peter J. Carroll;
.

Livros “Avançados”:

O Idiota - Fiódor Dostoiévski;
O Demian - Hermann Hesse;
MacBeth - Willian Shakespeare;
Cain - José Sarmago;

E muito outros livros que falem sobre a natureza humana. Leia-os com seus novos olhos e veja o quanto você aprendeu sobre ela. Porque Deus é Homem.

Só uma retificação: o que estou chamando de “avançado” aqui é só um “intermediário II” porque, como já dizia um professor meu, “quem sabe faz, e quem não sabe, ensina”.

Os livros mais importantes são os de classe A né?

Qual seria o liber mais importante que não é de classe A?

Segue a descrição oficial. Os livros de Classe A são os recebidos e que não deveriam ser alterados nem sequer no estilo de uma letra. Não quer dizer que sejam os mais práticos e fáceis de entender :stuck_out_tongue:

A classe “A” consiste de livros dos quais não se pode mudar nem sequer o estilo de uma letra: ou seja, eles representam o enunciado de um Adepto completamente além da crítica até mesmo do Chefe Visível da Organização.

A classe “B” consiste de livros ou artigos que são resultado de erudição comum, iluminada e cuidadosa.

A classe “C” consiste de assuntos que devem ser considerados mais como sugestivos do que qualquer outra coisa.

A classe “D” é consistida pelos Rituais e Instruções Oficiais.

A classe “E” consiste de anúncios públicos e folhetos.

1 Curtida

93!
Acho interessante ter o “Living Thelema” do David Shoemaker, a linguagem empregada facilita a compreensão e o livro elucida muitas coisas pra quem é iniciante no caminho. Recentemente foi lançada uma versão em português, mas talvez você não encontre mais pra comprar. Independente disso, recomendo a leitura.

93! Alguém sabe onde posso encontrar em pdf o O Guia Espiritual, de Miguel de Molinos?

Se fosse para vocês escolherem um único livro( o que é extremamente difícil), qual escolheriam?
E qual na opinião e experiência pessoal é o livro mais completo?

Para mim a resposta de ambas as perguntas é o Liber ABA. É o livro que eu escolheria se eu fosse morar uma década numa ilha deserta sem acesso a mais nada.

Por quê?

  • Na Parte 1, ensina o Raja Yoga passo-a-passo, até atingir a experiência final do Samadhi
  • Nas Partes 2 e 3 explica todos os nuances da Magia Cerimonial, Hermetismo, Alquimia, etc.
  • Na Parte 4, dá a religião que preciso: Thelema, o Livro da Lei, e como foi recebido.
  • Nos Apêndices, inclui vários rituais, especialmente o Samekh, que pode levar à experiência principal da magia: o Conhecimento e Conversação do Sagrado Anjo Guardião.
  • Ele dá as tabelas mais importantes da Cabala nos apêndices, que poderiam ser usadas para “reconstruir” a Cabala se o mundo acabasse e esse fosse o último livro.
2 Curtidas

Boa noite Kairos.

Eu sugiro que, ao invés de livros, você se guie por subcategorias de ocultismo:

As seguintes categorias são as mais importantes, ao meu ver:

Astrologia, Cabala, Tarô, Magia Cerimonial e (no caso thelêmico) Ioga.

Sobre Ioga eu acho importante que você considere primeiro os escritos de Crowley sobre o assunto, os contidos no Liber Aba e o que ele escreveu no “Yoga para Broncos”. No currículo da A.A há obras de ioga sugeridas que eu acho uma perda de tempo, exceto pelo Shiva Samhita talvez.

Coisas como:

“Eis Dhauti: tome uma faixa de tecido com quatro dedos de largura e quinze palmos de comprimento, umedecido com água morna, engolindo-a conforme as instruções do guro. Depois puxe-a de volta.
Agora, Basti: Em utkatasana, submerso em água até o umbigo, introduza um tubo fino de bambu no ânus, contraindo-o e expelindo. Isso é Basti-Karma”.

Não passam de lixo imprestável para qualquer um que não nasceu na índia. Só um maluco iria enfiar um bambu no bumbum pra se purificar.

Então, não passa de perda do seu tempo ler estes clássicos indicados pelo Crowley, principalmente porque descrevem-se inúmeras posturas inúteis. Caso tenha interesse em Ioga é melhor partir dos escritos do próprio Crowley.

Sobre a biblioteca: é como eu te disse, busque as categorias, analise os livros antes de comprar e, caso conclua que valham a pena, compre e acomode-os na tua estante.
Mas, para não ser vago, vou te dizer os que considero essenciais:

Dogma e Ritual de Alta Magia e Liber 777.

O livro “Cabala Mística” da Dion Fortune é bom, mas é apenas uma análise do 777 na minha opinião. Diria que é um tipo de complemento ao 777 mas acho mais interessante você mesmo escrever tua análise antes e depois comparar com o dela.

Essa hierarquização é complicada. Vejamos, por categorias novamente:

Iniciante: Devem ser as categorias basilares. Na A.A. parece que o sistema é muito focado no teórico no começo e parte para um foco prático depois. Por exemplo, Dogma e Ritual de Alta Magia não é um livro pra iniciantes, principalmente num país com uma educação como a nossa, mas está listado para os “estudantes” da A.A , o grau que é o iniciante do iniciante no sistema. Crowley deve ter proposto isso porque ele se imaginava como sendo o instrutor, mas ele estudou em Cambridge e era um literato e poeta. Um cara que estudou na escola pública e depois se formou na Anhanguera dificilmente terá o mesmo preparo, a mesma educação, que o Crowley esperava de um discípulo. Portanto, vamos às categorias básicas:
Magia do Caos. Qualquer livro sobre esse sistema é básico.
Literatura Religiosa. A Bíblia, principalmente, deve ser conhecida, não com uma profundidade teológica mas estudar a Árvore da Vida sem saber quem foi Melquisedeque ou, pior , Isaque, é só colocar a carroça na frente dos bois e ser um ignorante. Mitologia no geral, estude todos os panteões europeus: greco-romano, celta e escandinavo no geral. O panteão hindu, egípcio, e os do budismo (tibetano, chinês etc) e o xintoísmo. Daí você deve decidir qual panteão, se quiser claro, irá trabalhar. A partir daí se aprofunde neste. Ah, o panteão afro-brasileiro também pode lhe ser interessante.
Literatura Poética. Virgílio, Dante, Homero, Ovídio e, é claro, Aleister Crowley. É inaceitável um cara que se diz “mago” me dizer que não sabe quem era Beatriz mas saber quem era a Hermione, simplesmente INACEITÁVEL.
Literatura Imaginativa. Seria a ficção. Neste caso depende mais do gosto, mas é apropriado saber os contos dos irmãos Grimm, Alice no País das Maravilhas e, quem sabe, até mesmo Harry Potter.
Literatura Acadêmica. Nada muito avançado se não for da tua área, mas acredito que Psicologia (mais especificamente Freud e Carl Jung), Antropologia e Filosofia (filosofia clássica, Platão etc).
Literatura Medieval: As Sete Artes Liberais. Estude todas até o fim da sua vida.
Literatura Artística: Empenhe-se em aprender alguma das sete belas artes: arquitetura, música instrumental, escultura, pintura, literatura, teatro e dança. Elas irão lhe ajudar a “por em prática” teu aprendizado teórico atual e futuro.

Agora, nível intermediário:

Liber 777.
Cabala, ioga, tarô, astrologia, magia cerimonial.

Enfim, nível avançado:
Escrever seus próprios livros, tratados, teses.

Bons estudos. :wink:

1 Curtida

Ah sim, um adendo.

Você pode criar subcategorias dentro das categorias maiores, seguindo a mesma hierarquia que você estabeleceu.
Por exemplo:
Categoria- Tarô.
Iniciante: Curso de Tarô. Autor Nei Naiff.
Intermediário: Liber 78. Autoria, Golden Dawn.
Avançado: Liber Toth. Autor, Aleister Crowley.

A sugestão aqui é subjetiva, obviamente. Se você é um thelemita essa é, provavelmente, a ordem que você colocará. Mas um outro estudante pode encontrar tudo que precisa no Curso de Tarô e parar por aí.

Abraços.

Eu pretendia fazer a pergunta separada por tópicos, mas quis fazer ela mais abrangente e vaga, por dar mais liberdade de resposta(s) a cada um.
Mas gostei da sua observação, compartilho do mesmo pensamento sobre os textos de ioga, tem o seu valor, mas em aplicabilidade fica devendo.
Também é interessante notar que qualquer pessoa que se ingresse no oculto, possa ficar horas debruçado sobre livros de magia, mas acaba se esquecendo de livros que despertem a sua imaginação e trabalhem o seu psicológico, como foi já citado.
Se pararmos para pensar, a própria literatura é um ato mágico, basta seguimos exemplo dos textos, também dos quadrinhos de Grant Morrison e Alan Moore.