Nada é verdadeiro, tudo é permitido. (compartilhamento de opinião e discussão)

Bem, se você quer saber quem disse está frase pela primeira vez, use o google .

Crio esta discussão para compartilhar meu pensamento sobre está frase, já que seu real significado está perdido na história (literalmente), quando só vemos explicações "governamentais", "manipuladoras" sobre ela. Mas está definição difundida (google) pode ajudar a entender, e como sempre, a propria opinião é mais importante do que o que vem de fora.

Eu acho que nada é verdadeiro porque a verdade é relativa, o que é verdade para um, pode não ser para outro. Já a segunda parte: "tudo é permitido" para mim é um pouco mais complexa, já que NA MINHA OPINIÃO nem tudo é permitido, quando você viola o direito de alguém, age sem moral visando seu proprio bem em detrimento covarde da felicidade, reputação ou algo que a pessoa não possa perder, então NA MINHA OPINIÃO, não é permitido (a pessoa pode se proteger, mas as vezes a covardia é tão grande, que esta opção não é valida).

Basicamente é isso ^

Reza a lenda que essa frase foi originalmente dita por Hassan ibn al-Sabbah, O Velho da Montanha, e modernamente foi adotada por grupos dedicados à emergente corrente magica do caos, Illuminates of Thanateros, esses caras... Mas enfim, isso importa pouco.

Dizer que nada é verdadeiro é assumir a "não-verdade" como uma verdade, e isso é paradoxal; mais razoável seria dizermos que se existe uma verdade, ela é aparentemente indistinguível de qualquer "não-verdade", ela é ininvestigável, dada a nossa imersão no universo fenomênico, causal, sensorial, etc. Sendo assim, nos restam algumas opções, como por exemplo, assumir que uma vez que não somos capazes de identificar uma verdade verdadeira, mesmo que ela esteja a um palmo dos nossos narizes, devemos (ou podemos, simplesmente) nos satisfazer com a afirmação de que não-verdades, ou verdades aparentes, podem servir aos nosso propósitos, sejam eles, e elas, quais forem. E isto nos dá uma liberdade perigosa (e qual não é?!). Claro que não é tão simples assim, nunca é...

Já a questão da permissividade condicionada à afirmativa da inexistência do verdadeiro, ela é tão abrangente quanto a capacidade de crença do agente, ou seja, eu restrito apenas por mim mesmo e por aquilo em que acredito. Dentro da esfera humana só não é permitido aquilo que é impossível, me refiro àquilo que as próprias Leis da Natureza aparentemente impedem.

Posso bater os braços e voar feito uma andorinha? Não, não posso, por mais que eventualmente cresse que sim. Ao menos não nessa nossa atmosfera rarefeita.

Posso roubar, matar e destruir? Posso, desde que esteja disposto a fugir ou a pagar ou preço caso me peguem. Devo fazê-lo? Ai é uma questão de crença. Repito: eu, restrito apenas por mim mesmo e por aquilo em que acredito. Se esta é a vida que eu quero, que seja, mas aí entramos em um assunto bastante mais profundo, que é a questão da liberdade (a minha e a do outro) e da vontade. O primeiro estágio do contrato social não é social, é íntimo; eu aceito cumprir com a minha parte, ou isso me violenta me levando a um ponto de ruptura?

Essa frase também foi dita pelo povo chamado "Hashashin", que deu origem a palavra: "Assasino", povo esse que fazia uso de haxixe na idade média e aterrorizou o oriente médio, foi exterminado pelos mongois, que na idade media ocupou o maior territorio que um povo conseguiu em todos os tempos, totalizando este toda a asia, inclusive o atual territorio da Russia. ;)

No campo moral é apenas uma desculpa para mentir sem peso na consciência.

No campo cabalístico, bem:

Nada é o Nome dado ao Primeiro Véu do Imanifesto, AIN.
Significa que a única Verdade é aquilo que é inalcançável. Que os fatos ou verdades “menores” nos levam inevitavelmente para um buraco sem fim no qual a única coisa real e verdadeira não existe para nós.
Mas é por este Nada ser Verdadeiro que Tudo, ou seja o Universo, a Existência, é Permitido ou possível de existir.
Trata de uma relação entre o Nada e o Tudo, o Tudo sendo efeito de uma “ação” [por falta de palavra melhor] do Nada. Um sonho só é permitido existir porque há uma mente “fora” dele que sonha, esta mente é a verdade, o sonho não é a verdade mas é permitido existir por causa da verdade.

1 Curtida