VV e Umbanda

Pelos currículos da A.'.A.'., magia cerimonial, evocativa, trabalho com tattwas é o básico a se estudar e praticar, contudo, alguém já tentou seguir os preceitos de Thelema voltado à ritualística umbandista?

A que curriculo se refere? Pelo que eu saiba, vc escolhe o seu metodo de trabalho

Quando fala em "Umbanda" está falando apenas na religião Umbandista ou está se referindo genericamente às várias vertentes do africanismo?

Pergunto porque esta religião realmente me parece um insólito lugar onde "nada é verdadeiro e tudo é permitido", no entanto, de forma pouco consciente. A Umbanda deturpa alguns dos conceitos e nomenclaturas daquilo que no Brasil se convencionou chamar de Candomblé (que já é uma adaptação do africanismo original), do qual sim eu extraio fragmentos fundamentais para minha vida, reveladores da minha V.V. e pertinentes ao meu culto doméstico e particular.

Li um artigo que trata que trata as religiões umbanda e candomblé como religiões thelêmicas e pertencentes ao novo aeon.Sou um grande admirador da cultura religiosa e das mitologias africanas e acho perfeitamente válidos utilizar tais preceitos em nossa práticas.Na minha opinião, creio ser plausível(mas não experimentado)que a chamada feitura de santo seria uma versão mais simples e atual do ritual de Abramelin.Não sou frequentador de nenhum terreiro, mas as vezes fico um pouco chateado pelo Liber 777 não conter o nome de nenhum orixá(até onde sei).

Aluvaia,

Qual é sua fonte para tais estudos sobre o africanismo original?
se puder nos revelar e indicar de boa vontade alguns materiais para tais estudos, fico agradecido.

O meu interesse (você não perguntou, mas eu vou falar) é, hoje em dia, muito específico por alguns poucos Orixás, muito principalmente por Exú (o ORIXÁ, não o catiço da umbanda) e meu conhecimento acerca do assunto não é restrito aos livros publicados sobre o Candomblé para Candomblecistas, mas da convivência com quem conhece a coisa do "lado de dentro" - o que é muitíssimo enriquecedor, pois muito dessas coisas não estão nos livros -, assim como da minha própria capacidade de encontrar ligações em coisas sem ligação aparente, como Thélema, Candomblé, Neuropsiquiatria, Psicologia e Parapsicologia.

Eu acho que existem alguns chamados "clássicos" que já são meio que de domínio público, as obras de Pierre Verger e Roger Bastide de fato são meio que leitura obrigatória para quem quer entender dessa vertente religiosa, não meramente por descreverem a religião em si, de forma mais ou menos sectária, como o faria um Zelador de Santo, por exemplo, mas por fazerem essa descrição segundo uma visão histórica e antropológica da coisa. Interessantíssimo notar as diferenciações entre o que era o Culto aos Orixás/Inkíces/Voduns na África e o que é a aglutinação dele no Brasil.

Pra quem gosta de lendas a respeito, sugeriria "Lendas dos Orixás" do Reginaldo Prandi.

Para os fãs de Exú, que é o Orixá mais bacana do Universo e tem os filhos mais bonitos, fortes, inteligentes, simpáticos e modestos, eu recomendo fortemente um documentário chamado "A Boca do Mundo - Exú no Candomblé". : )